BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

pacientes oncológicos

colesterol-cancer.jpg

setembro 23, 2021 Câncer0

Adotar hábitos para reduzir o colesterol é benéfico não só para prevenir doenças cardiovasculares, como também é fundamental para reduzir o risco de desenvolvimento de câncer de mama e câncer de intestino. Por ser um fator de risco para o desenvolvimento de tumores, o colesterol alto deve ser controlado por meio de dieta equilibrada e rotina de exercícios físicos, além de consultas regulares a especialistas. 

Para te ajudar a entender melhor a relação entre colesterol alto e câncer, nós, do Blog da Medquimheo, preparamos este conteúdo especial, que também reúne dicas valiosas de como reduzir os níveis de colesterol no organismo. Continue a leitura para conferir. 

Veja também – Falta de vitaminas durante o câncer: entenda qual é a relação 

Qual é a relação entre colesterol alto e câncer?

De acordo com publicação do Instituto Vencer o Câncer, colesterol alto e obesidade podem desencadear alterações celulares que levam ao desenvolvimento de diversos tipos de câncer. Esse processo de formação de tumores ocorre por haver excesso de gordura corporal, o que eleva os níveis de circulação de hormônios, como insulina, estrogênio e fatores de crescimento (IGF-1), e, como consequência,  estimula a produção celular desenfreada e inibe a apoptose – morte celular programada.

Dicas para controlar o colesterol e reduzir o risco de câncer

Ainda de acordo com o Instituto, alguns hábitos podem (e devem!) ser adotados na rotina para combater o colesterol alto e, dessa forma, reduzir os riscos de desenvolvimento de câncer. Confira as dicas a seguir: 

  • Dieta equilibrada

Ter uma dieta equilibrada, rica em fibras, legumes, frutas, verduras e oleaginosas, além de substituir carboidratos por alimentos integrais, é um dos hábitos cruciais para combater o colesterol alto. Também é recomendável evitar consumo de ultraprocessados, bebidas alcoólicas em excesso, doces e frituras. Dê preferência para ingestão de carnes magras e laticínios com níveis reduzidos de gordura.

  • Atividade física

A prática regular de exercícios físicos é fundamental para a saúde do corpo como um todo. Além disso, durante as atividades, há diminuição de LDL – colesterol ruim – e aumento do nível de HDL – colesterol bom, segundo publicação do Hospital do Coração (Hcor)

  • Rastreamento

Além da dieta equilibrada aliada com a prática de atividade física, realizar consultas periódicas é fundamental. Além disso, é recomendável realizar o exame de dosagem de colesterol como estratégia de rastreamento em pacientes em torno de 30 anos com fatores de risco como tabagismo, hipertensão e histórico familiar de doença coronariana. 

Conheça nosso blog 

Nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado e atualizado. Aproveite mais conteúdos:

#DicaDaNutri: 3 receitas que ajudam na quimioterapia

Dicas para manter a qualidade de vida e a saúde mental na quarentena 

Fonte: Instituto Vencer o Câncer.


shutterstock_1880344021.jpg

Os pacientes oncológicos precisam adotar cuidados durante o inverno, visto que nessa estação as doenças respiratórias se proliferam com maior rapidez. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), por ano, gripes e resfriados causam comprometimentos graves em 3,5 milhões de pessoas, principalmente, as que possuem alguma comorbidade ou estejam em tratamentos que impactam a imunidade, como as quimioterapias e radioterapias, que tratam o câncer.

Para te explicar os principais cuidados que os pacientes oncológicos devem adotar no inverno, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Continue lendo para conferir!

Veja também: Aprenda receitas de sopas saudáveis para aquecer o inverno

❄️ Quais cuidados adotar no inverno para evitar doenças respiratórias?

É importante lembrar que, como já falamos, o frio é um clima propício para o aumento de doenças respiratórias, por diversos fatores. As mudanças bruscas de temperatura, poluição ambiental, ar seco e utilização de cobertores guardados há muito tempo são algumas das razões que podem influenciar na proliferação avançada dos vírus. Além disso, a Covid-19 também é uma doença respiratória e, nos pacientes oncológicos, ela pode provocar internações e uma série de complicações. Dessa forma, o cuidado deve ser redobrado.

Pessoas que estão em tratamento de câncer são mais vulneráveis a infecções respiratórias devido a baixa imunidade, por conta dos medicamentos e procedimentos para tratar a doença. Para se prevenir é preciso adotar cuidados como:

🔒 Evitar locais fechados e com aglomerações; 

🤧 Prevenir-se de contato com pessoas gripadas ou resfriadas;

🧥 Manter-se sempre bem agasalhado;

💉 Vacinar-se contra a influenza anualmente;

🧼 Lavar as mãos antes de todas as refeições e evite encostar no rosto com as mãos sujas;

🍉 Optar sempre por alimentos frescos e de procedência confiável;

🥤 Manter-se hidratado.

Caso apresente qualquer sintoma de gripe, resfriado ou Covid-19, é fundamental procurar um médico, para que o rastreamento da infecção seja realizado e o tratamento seja iniciado. Além disso, faça o isolamento para proteger as pessoas à sua volta, visto que as doenças respiratórias, em grande maioria, são contagiosas.  

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Coronavírus: o que é, sintomas e prevenção

Câncer de pele: sol de inverno também apresenta perigo

Fonte: Oncoguia.


shutterstock_1903570186.jpg

A imunização em massa é a peça-chave para a prevenção e proteção coletiva, tanto para a Covid-19, quanto para outras doenças, como o câncer. De acordo com pesquisa realizada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, 92% dos casos de câncer de colo de útero, causados pelo vírus do HPV, poderiam ser evitados com o imunizante. Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), antes da aplicação em massa da vacina contra o vírus  do papiloma humano (HPV), eram registradas cerca de 35 mil mortes por câncer uterino, ao ano, nos países da América e, hoje, 43 deles já administram o imunizante na população em campanhas anuais.

Para te ajudar a entender a importância das vacinas para a prevenção do câncer, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial. Confira!

Veja também: Tomei a vacina da Covid-19, e agora?

🔎 Quais vacinas ajudam a prevenir o câncer?

As principais vacinas que podem ajudar a prevenir o câncer são: vacina HPV, que protege contra o vírus papiloma, transmissível por relação sexual, que pode causar lesões pré-cancerosas e é o principal causador do câncer de colo de útero; vacina Hepatite B, que causa infecções crônicas e, quem a tem, convive com um risco aumentado de desenvolver câncer de fígado

Essas vacinas, em específico, são administradas desde a infância e devem ter o esquema vacinal seguido de forma correta para garantir a eficácia da imunização. A vacina que protege contra o HPV é aplicada pelo Ministério da Saúde em adolescentes de 9 a 14 anos do público feminino e de 11 a 14 anos do público masculino. Para outras faixas etárias, a vacina está disponível na rede privada. Já a vacina contra a hepatite B é administrada em crianças 24 horas após o parto e a segunda dose deve ser aplicada até os 6 meses.  

É importante citar que a simples ação de completar o cartão de vacina das crianças garante a elas um futuro mais seguro e as protege, de forma completa, contra doenças infecciosas que podem evoluir para um câncer.

#DicaMedquimheo: o Ministério da Saúde criou uma cartilha para informar, de forma detalhada, quais vacinas devem ser administradas durante cada fase da vida, para homens, mulheres e grávidas. 

🦠 Vacinação durante a pandemia

Neste período de pandemia, as campanhas de imunização ocorrem normalmente, para além da vacinação contra a Covid-19. Nesse sentido, a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) publicou algumas dicas para ajudar a manter o esquema vacinal em dia e reforçar a proteção coletiva contra as demais infecções.

📆 Certifique-se de que as vacinas de rotina estão atualizadas: confira os cartões de vacinação ou entre em contato com o serviço de saúde mais próximo para saber se falta alguma vacina;

💉 Se deixou de receber alguma vacina, entre em contato com o serviço de saúde para saber como se imunizar;

👨‍👧‍👧 Apenas uma pessoa deve acompanhar quem será vacinado no serviço de saúde. Proteja-se e proteja os outros usando máscaras;

🤧 Caso teste positivo para Covid-19, fique em casa. O profissional do serviço de saúde irá informar para quando deve programar a vacinação;

😷 Procure saber quais são as medidas que os serviços de saúde têm adotado para proteger as pessoas que estão em busca de vacinação durante a pandemia de Covid-19;

💻 Informe-se! A vacina não diminui as defesas imunológicas; não existe nenhuma evidência de que as atuais vacinas facilitam ou impedem o adoecimento e complicações devido à Covid-19. 

A pandemia nos fez perceber a importância das vacinas para a prevenção de doenças e preservação da vida. Por isso, aproveite as que temos hoje para prevenir alguns tipos de câncer e outras infecções, principalmente, o coronavírus

💡 Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Entenda a importância da doação de sangue na pandemia

Junho Vermelho: mês de conscientização e incentivo à doação de sangue

Fonte: Ministério da Saúde.


Familia-como-apoio-emocional-.png

A família é a base para todas as fases da vida e não é diferente durante a descoberta do câncer. O tripé que sustenta positivamente o tratamento oncológico inclui: paciente, profissionais especializados e família. Nesse sentido, é de suma importância os familiares e amigos se empenharem para oferecer apoio, conversa e acolhimento durante este momento delicado. O suporte psicológico especializado também é essencial, visto que, de acordo com artigo publicado no site do Instituto Nacional do Câncer (Inca), 20% a 30% dos pacientes com câncer têm ansiedade, depressão, estresse e baixa autoestima em algum momento após o diagnóstico.

Nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial para você, familiar e amigo, com o objetivo de te mostrar que é possível ajudar o paciente oncológico a atravessar o tratamento com mais leveza e oferecer apoio adequado neste período. Confira!

Veja também: Câncer e depressão: entenda a relação!

🩺 Qual a importância do apoio psicológico especializado?

O psicólogo especialista em tratamento oncológico pode contribuir na identificação de medos, dúvidas, expectativas e incertezas do paciente, bem como ofertar um espaço de escuta efetiva e suporte profissional. Nesse contexto, o trabalho também é realizado com a família, que é peça fundamental na assistência da pessoa diagnosticada com câncer e precisa saber a forma correta de lidar com a situação. Dessa forma, o acompanhamento irá proporcionar mais bem-estar ao paciente e familiares, além de auxiliar na compreensão de fatores emocionais que podem intervir na saúde e, consequentemente, no tratamento. 

⚠️ Quais sinais evidenciam a necessidade de ajuda?

Importante citar que a ajuda emocional especializada deve ser priorizada para pacientes de todas as idades, visto que, de acordo com levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria, há um maior número de casos depressivos em adolescentes de 14 a 16 anos, que representam cerca de 59,9% do público desta idade. Os índices podem ser maiores quando se trata de pacientes oncológicos crianças. Nesse sentido, é necessário se atentar a sintomas como tristeza generalizada, desesperança, culpa excessiva, vontade de se isolar e autocríticas exageradas para detectar precocemente quadros clínicos de ansiedade ou depressão.  

👨‍👩‍👧‍👦 Como a família pode oferecer apoio?

O apoio por parte de familiares e amigos deve visar a maior comodidade do paciente, tanto física, quanto mental. Isso implica na presença ativa, encorajamento positivo, escuta efetiva, compartilhamento de informações relevantes sobre temas além do câncer e acolhimento na comunicação e ação. Para te ajudar nessa missão, separamos algumas dicas de como praticar o apoio emocional a um paciente oncológico:

💙 Ofereça-se para ouvir e conversar;

💙 Ajude nas tarefas do dia a dia, mesmo que simples;

💙 Acompanhe nas consultas e tratamentos de rotina;

💙 Incentive a cuidar da alimentação, saúde e autoestima;

💙 Respeite o tempo e espaço do outro;

💙 Seja positivo e engaje-o no convívio social, mesmo que virtualmente.

#DicaMedquimheo: o Inca publicou uma cartilha com dicas para diminuir o estresse durante o tratamento oncológico. Confira!

Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Ansiedade: saiba como lidar durante o isolamento

Saúde mental: quais hábitos adotar para ter uma mente saudável?

Fonte: Instituto Nacional do Câncer (Inca).


Dia-Nacional-de-Prevencao-e-Combate-a-Hipertensao-Arterial.jpg

Em 26 de abril é celebrado o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), no Brasil, cerca de 30% da população com mais de 40 anos pode ter pressão arterial elevada e este é o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC). Além disso, a hipertensão apresenta perigos para os pacientes oncológicos, visto que estudiosos avaliam a relação entre os tratamentos de câncer e o surgimento ou agravamento da hipertensão arterial.

Para te mostrar que é possível prevenir a pressão alta e ter uma melhor qualidade de vida, nós, do Blog da Medquimheo, produzimos este conteúdo especial.

O que é hipertensão arterial?

Conhecida popularmente como pressão alta, trata-se de uma doença crônica e degenerativa, caracterizada pelos altos níveis de pressão sanguínea nas artérias. De acordo com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), uma pessoa é considerada hipertensa quando sua pressão sistólica – termo técnico que se refere a contração do coração -, é maior que 140 milímetros de mercúrio (mmHg) ou a diastólica, que significa o relaxamento entre um batimento cardíaco e outro, é igual ou maior que 90 mmHg.

Assim como em pacientes sem diagnóstico de câncer, a hipertensão está associada a eventos agudos, como insuficiência cardíaca, acidente vascular encefálico, crises hipertensivas, síndromes coronarianas agudas e insuficiência renal, de acordo com pesquisas do Núcleo de Cardio-Oncologia do Hospital Sírio Libanês. Confira alguns números e níveis da hipertensão:

📌 Pressão sistólica (mmHg):

  • Normal = 120 ou menor;
  • Pré-hipertensão = 121 a 139;
  • Hipertensão estágio 1 = 140 a 159;
  • Hipertensão estágio 2 = 160 a 179;
  • Crise hipertensiva = 180 ou maior.

📌 Pressão diastólica (mmHg):

  • Normal = 80 ou menor;
  • Pré-hipertensão = 81 a 89;
  • Hipertensão estágio 1 = 90 a 99;
  • Hipertensão estágio 2 = 100 a 109;
  • Crise hipertensiva = 110 ou maior.

Hábitos que previnem a hipertensão arterial

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa da Associação Beneficente Síria HCor, aponta que os problemas cardiovasculares, que podem surgir devido a pressão alta, representam cerca de 300 mil mortes por ano no Brasil e 50% dos hipertensos não sabem que possuem a doença. Por isso, a chave para uma vida mais saudável é a prevenção.

🤸🏼‍♂️ Pratique exercícios físicos

De acordo com o Ministério da Saúde, 20 a 30% dos casos de hipertensão arterial podem ser explicados pelo excesso de peso. Nesse sentido, a prática regular de exercícios físicos podem auxiliar no controle da pressão e na redução do surgimento de doenças associadas à hipertensão.

❌ Evite fumar e consumir bebidas alcóolicas

O vício do fumo e da ingestão de bebidas alcoólicas podem aumentar os riscos da elevação da pressão arterial, além de ser prejudicial para os pacientes oncológicos, em tratamento ou curados.

🥗 Tenha uma alimentação saudável

Uma alimentação balanceada deve incluir alimentos livres de agrotóxicos e minimamente processados, como frutas, legumes, verduras, laticínios e oleaginosas. A escolha de bons alimentos desempenha um papel importante para o controle da hipertensão. Para isso, é preciso diminuir o consumo de sódio, que está presente nos enlatados e embutidos, como salame, mortadela, presunto, salsicha, pipoca de microondas, macarrão instantâneo e refrigerantes diet e zero.

Opte por uma rotina alimentar saudável e crie o hábito de se exercitar, a fim de preservar a saúde arterial e ter mais qualidade de vida.

Conheça nosso blog!

Aqui no Blog você confere outros conteúdos:

 Hipertensão: causas, sintomas e como prevenir!

Dia da Saúde e da Nutrição: saiba como ter uma alimentação mais saudável

Fonte: Ministério da Saúde.