BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

câncer de mama

inatividade-fisica-cancer-de-mama.jpg

outubro 25, 2021 Câncer de mama0

A prática de exercícios físicos promove diversos benefícios à saúde física e mental de qualquer pessoa, tais como: redução da pressão arterial, fortalecimento dos ossos e artérias, aumento da sensação de bem-estar, entre outros. Em contrapartida, a inatividade física pode acarretar o surgimento e/ou agravamento de diversos problemas de saúde, entre eles, o câncer de mama. De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), aproximadamente 13% dos casos de câncer de mama no Brasil, em 2020, poderiam ter sido evitados pela mudança dos hábitos comportamentais, em especial, a falta da realização de exercícios físicos.  

Neste post, nós, do Blog da Medquimheo, reunimos informações, dados e recomendações essenciais sobre os benefícios da atividade física e como ela pode ajudar na prevenção e luta contra o câncer de mama

Veja também – Obesidade x Câncer de mama: entenda a relação 

Afinal, qual a relação entre inatividade física e o câncer de mama? 

Dados de uma pesquisa realizada em colaboração com o Ministério da Saúde afirmam que uma em cada dez mulheres vítimas de câncer de mama poderiam ter a vida poupada se praticassem exercícios físicos regularmente. Além disso, a pesquisa também afirma que a prática regular de exercícios físicos melhora o metabolismo de alguns hormônios relacionados com o câncer de mama, o que influencia diretamente na prevenção da doença. 

Atividade física: quais são os benefícios? 

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), entre os diversos benefícios promovidos pela prática de atividades físicas, estão: equilíbrio dos níveis hormonais, redução do tempo de trânsito gastrointestinal, fortalecimento do sistema imunológico, ajuda a manter o peso corporal equilibrado e aumenta a disposição e a sensação de bem-estar

Quais atividades físicas são as mais indicadas? 

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), é importante praticar aquelas atividades físicas que nos trazem prazer, pois isso influencia no aumento da sensação de bem-estar. Entre os exercícios citados, estão: 

  • Caminhada; 
  • Pedalar; 
  • Dançar;
  • Natação/Hidroginástica.

Além disso, vale ressaltar que após dez anos, a Organização Mundial da Saúde (OMS), criou uma nova versão de suas diretrizes sobre atividade física. Baseado em dados científicos recentes, o documento fornece informações atualizadas sobre os danos que a inatividade física e o sedentarismo causam a curto e longo prazo. “Ser fisicamente ativo pode adicionar anos à vida e vida aos anos”, afirmou Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS. 

Conheça o Blog da Medquimheo

Nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado e atualizado. Aproveite mais conteúdos:

Câncer de mama: quais são os fatores de risco? 

Colesterol alto é fator de risco para o desenvolvimento do câncer? Saiba mais!

Fonte: Instituto Nacional de Câncer


cancer-de-mama-fatores-de-risco.jpg

outubro 21, 2021 Câncer de mama0

O câncer de mama é muito associado ao histórico familiar, mas, apesar disso, a herança genética não é o principal fator de risco. Existem várias causas que influenciam no aumento do risco de desenvolver a doença, entre elas fatores endócrinos, comportamentais e hereditários. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), mulheres a partir dos 50 anos têm maior risco de apresentar tumores nas mamas, uma vez que as próprias alterações biológicas, com o passar do tempo, aumentam essa ameaça.

Nós, do Blog da Medquimheo, reunimos os principais fatores que influenciam no surgimento do câncer de mama, além de dicas importantes para te ajudar a prevenir a doença. Confira!

Veja também- Conheça os novos exames para diagnosticar patologias mamárias 

Quais são os fatores endócrinos relacionados ao câncer de mama?

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de mama, estão:

  • Menarca precoce: mulheres que tiveram sua primeira menstruação antes dos 12 anos de idade;
  • Menopausa tardia: mulheres que entraram em menopausa após os 55 anos de idade; 
  • Nuliparidade: mulheres inférteis, que nunca engravidaram ou tiveram filhos biológicos; 
  • Mulheres que tiveram sua primeira gestação após os 30 anos;
  • Mulheres que fazem ou fizeram terapia de reposição hormonal pós-menopausa, sem o devido acompanhamento médico. 

Quais fatores comportamentais podem levar ao câncer de mama? 

De acordo com o INCA, diversas práticas habituais estabelecidas na rotina das mulheres podem ter um efeito negativo em sua saúde e levarem ao diagnóstico do câncer de mama, entre elas, estão:

  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Sobrepeso e obesidade
  • Inatividade física
  • Exposição à radiação ionizante. 

Quais hábitos adotar para prevenir o câncer de mama?

Uma rotina regrada de exercícios físicos e alimentação saudável é considerada aliada na luta pela prevenção e combate ao câncer de mama. Ter o costume de se exercitar por pelo menos dez minutos diários, já traz benefícios para a saúde de modo geral, aumenta a sensação de bem-estar, diminui o estresse e promove mais disposição para o dia a dia. É importante, também, incluir alimentos saudáveis na dieta, como folhas, frutas, verduras e legumes.  

Conheça o Blog da Medquimheo

Nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado e atualizado. Aproveite mais conteúdos:

Outubro Rosa: autoestima como aliada ao tratamento do câncer de mama

Obesidade x câncer de mama: entenda a relação!

 

Fonte: Instituto Nacional de Câncer


Post_insta_Feed_01-.png

outubro 20, 2021 Câncer de mama0

O câncer de mama é o tipo de câncer que mais atinge mulheres no mundo. No entanto, a doença também pode atingir outros grupos, que não são comumente abordados em campanhas de conscientização no Outubro Rosa, o que tem gerado alarde entre os especialistas. Homens, pessoas com deficiência e comunidade LGBTQIA+ são excluídos das ações que visam a difusão de informações sobre a importância da prevenção e detecção da doença em estágio inicial. Por não serem impactados, podem criar uma falsa impressão de não correrem o risco de desenvolvimento da doença, o que atrapalha o diagnóstico precoce e, como consequência, reduz as chances de cura.

Para te ajudar a entender mais sobre o tema e ressaltar a importância da inclusão nas campanhas de conscientização sobre o câncer de mama, nós, do Blog da Medquimheo, preparamos este conteúdo repleto de informações relevantes e dados. Continue a leitura para conferir!

Veja também- Câncer de mama pode atingir homens: entenda mais sobre o assunto

Câncer de mama em homens: a importância de quebrar o tabu!

Apesar de representar apenas 1%, a falta de informação a respeito da neoplasia mamária em pessoas do sexo masculino, o tabu relacionado ao autocuidado em saúde entre os homens e o preconceito sofrido por pacientes acometidos pela doença quase exclusivamente feminina, colocam um panorama nocivo, de diagnósticos quase sempre em estágios avançados e que muitas vezes não permitem a cura ou o tratamento do câncer

Como ocorre a realização da mamografia em pessoas deficientes? 

A mamografia é o principal exame que diagnostica precocemente o câncer de mama. Para realizá-lo, é preciso ficar de pé e sem roupas na parte de cima, o que dificulta o acesso às pacientes com algum tipo de deficiência física, como paraplégicas/tetraplégicas e mulheres com nanismo. A lei Nº 13.362, de 23 de novembro de 2016, assegura o direito de realização do exame de mamografia adaptado para mulheres que se enquadram como PCDs. 

No caso de mulheres cadeirantes, a máquina utilizada na realização do exame tem capacidade de descer e chegar à altura da paciente. Porém, durante a mamografia é preciso que a pessoa participe e se posicione, levantando os braços e se projetando para frente, o que não seria possível para um tetraplégico, por exemplo.

Comunidade LGBTQIA+ e o câncer de mama

A hormonioterapia com estrogênio, utilizada no processo de transição sexual, aumenta o risco de desenvolvimento do câncer de mama. Por isso, mulheres e homens trans precisam manter os mesmos cuidados com as mamas que as pessoas cisgêneros. Mesmo quem faz uso de próteses, é fundamental que exames de imagem como ultrassonografia, mamografia ou ressonância nuclear magnética, sejam realizados periodicamente, conforme orientação médica.  

#SejaSuaPrópriaDiferença

Diante deste contexto, nós, da Medquimheo, lançamos a campanha intitulada “Seja a sua própria diferença” para a edição deste ano do Outubro Rosa, que tem o objetivo de difundir conteúdos que incluam, aproximem, se diferenciem e mostrem a diversidade da sociedade. A campanha é um convite para o autocuidado, para o olhar atento a si mesmo, a fim de tornar cada pessoa protagonista da sua própria saúde. Queremos disseminar informações que contribuam para a prevenção, diagnóstico precoce e tratamento eficaz para todos aqueles que podem ser afetados pelo câncer de mama, de acordo com suas particularidades.

Conheça o Blog da Medquimheo

Nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado e atualizado. Aproveite mais conteúdos:

Outubro Rosa: a detecção precoce do câncer de mama é fundamental!

Outubro Rosa: autoestima como aliada ao tratamento do câncer de mama 

Fonte: Instituto Oncoguia


novos-exames-patologias-mamarias.jpg

outubro 5, 2021 Câncer de mama0

O câncer de mama é o mais incidente em mulheres em todo o mundo. De acordo com pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (INCA), somente em 2020, foram estimados mais de dois milhões de casos inéditos, o que representa 24,5% dos novos casos por câncer em mulheres. Por conta disso, a detecção precoce e  a realização de exames preventivos são indispensáveis no combate à doença. A tecnologia tem sido uma grande aliada das inovações na medicina moderna, e no caso da oncologia, o cenário não é diferente. 

No post de hoje, nós, do Blog da Medquimheo, reunimos informações valiosas sobre os novos exames que facilitam o diagnóstico de patologias mamárias. Confira! 

Veja também –  Próteses de Silicone x câncer de mama: entenda essa relação

Quais são os tipos de biópsia da mama e qual a diferença entre elas? 

A biópsia nada mais é do que a remoção de uma pequena parte do tecido para uma avaliação da presença ou ausência de células cancerígenas. Esse procedimento é realizado por um patologista – médico especializado na interpretação de exames laboratoriais e análise de células, tecidos e órgãos – para diagnosticar a doença. Caso seja constatada a presença de células cancerígenas, o especialista determina qual o tipo de câncer de mama foi detectado.

São vários os tipos de biópsia e a escolha entre estas varia a cada caso. Entre os fatores que influenciam nesta decisão, estão o tipo da lesão, tamanho, localização, a quantidade de tumores e outros problemas clínicos da paciente. Segundo o INCA, os principais tipos de biópsia são: 

1- Punção aspirativa por agulha fina (PAAF)

Neste procedimento, ocorre a remoção de uma amostra de células do tecido mamário suspeito para exame, com a utilização de uma agulha mais fina acoplada a uma seringa para aspiração do tecido. O posicionamento da agulha é comumente guiado por ultrassom.

2 – Biópsia por agulha grossa (Core Biopsy)

O Core Biopsy, procedimento realizado na Medquimheo da Enseada do Suá, consiste na retirada de fragmentos de tecido, com uma agulha de calibre um pouco mais grosso, acoplada a uma pistola especial. É aplicada, neste caso, uma anestesia local. Esse geralmente é o tipo de biópsia preferido caso haja suspeita de câncer de mama. O posicionamento da agulha de biópsia poderá ser guiado por ultrassom, mamografia ou ressonância magnética.

3 – Biópsia cirúrgica

Ocorre em casos raros, em que considera-se necessário a cirurgia para remover parte do nódulo ou até mesmo ele por inteiro para exame. Neste procedimento, o cirurgião remove todo o nódulo ou área anormal, assim com uma área de tecido mamário normal como margem de segurança.

4 – Biópsia do linfonodo

Caso os linfonodos axilares encontrem-se aumentados, eles serão investigados para determinar a disseminação da doença. Mesmo que não ocorra alteração dos linfonodos, os gânglios linfáticos axilares geralmente são estudados para metástases, no momento de retirada do tumor mamário. Isso é realizado com a biópsia do linfonodo sentinela ou dissecção dos linfonodos axilares.

O que é mamotomia?

Mamotomia é um tipo especial de biópsia, solicitada somente em caso de alterações mamárias suspeitas. Realizada por meio  da ultrassom, mamografia estereotáxica ou até mesmo orientada pela ressonância de mamas, tem como objetivo estabelecer o diagnóstico do câncer de mama. O exame tem duração aproximada de 40 minutos, sendo necessário levar acompanhante. Entre as vantagens que oferece à paciente, estão:  traz uma maior precisão no diagnóstico, dispensa internação hospitalar e tem rápida recuperação.

Para se preparar para o exame, é necessário evitar ingestão de medicamentos que contenham antiagregantes plaquetários, como o ácido acetil salicílico, cinco dias antes e dois dias após o exame, com consentimento do médico responsável pelo caso. É necessário também levar exames anteriores de usg mamária, mamografia e ressonância de mamas, caso houver. O pós-procedimento é tranquilo, sendo preciso apenas evitar exercícios físicos por dois dias, ter cuidado para não molhar o curativo e retirá-lo somente após 24h. Uma dica é aplicar gelo nas primeiras 24h para prevenir a formação de hematomas.

Conheça o Blog da Medquimheo

Nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado e atualizado. Aproveite mais conteúdos:

Outubro Rosa: autoestima como aliada ao tratamento do  câncer de mama

Obesidade x câncer de mama: entenda a relação!

 

Fonte: Instituto Nacional de Câncer


amamentaao-e-cancer.jpg

setembro 22, 2021 CâncerCâncer de mama0

Amamentação é um tema que sempre está em alta, devido a sua importância, tanto para os bebês, quanto para as mães. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), amamentar diminui o risco de câncer de mama, uma vez que, durante o período de aleitamento, as taxas de determinados hormônios que favorecem o desenvolvimento deste tipo de câncer caem no organismo feminino. No entanto, algumas dúvidas são muito recorrentes, principalmente, quando envolvem mulheres que já estão em tratamento do câncer, seja por quimioterapia ou outro processo.  

Para te ajudar a sanar as principais dúvidas acerca da amamentação por pacientes oncológicas, nós, do Blog da Medquimheo, em parceria com nosso mastologista, Dr. Cleverson Gomes do Carmo Junior, preparamos este conteúdo especial. Continue a leitura para conferir. 

Veja também – Semana Mundial da Amamentação: ato pode prevenir câncer de mama

Quem faz quimioterapia pode amamentar?

Durante o período de tratamento do câncer, que pode envolver quimioterapia ou outro procedimento, como a imunoterapia, é imprescindível que a paciente oncológica converse com a equipe médica responsável por seu caso antes de iniciar a amamentação, uma vez que os medicamentos utilizados para tratar o câncer podem se misturar ao leite e, assim, afetar a saúde do bebê. Já caso a mulher seja diagnosticada com algum tumor maligno durante o aleitamento, é preciso buscar um especialista o quanto antes e redobrar os cuidados. 

Mulheres com câncer de mama podem amamentar?

Segundo estudo divulgado na National Library of Medicine, a recomendação mais comum é não amamentar, tendo em vista que boa parte dos medicamentos utilizados para tratar o câncer de mama podem suprimir a lactação, ou ser secretados no leite materno, com efeitos ainda não estudados sobre os bebês. Já para as mulheres que foram curadas do doença, a recomendação é a seguinte:

“Pacientes que retiraram uma das mamas – mastectomia – e têm a outra sem alteração podem amamentar. Já as mamas que foram operadas parcialmente podem apresentar alguma dificuldade na lactação, dependendo do tipo de cirurgia e do local de surgimento do tumor. Por isso, a recomendação é procurar um especialista antes de qualquer decisão.”

-Dr. Cleverson Gomes do Carmo Junior, mastologista da Medquimheo. 

Amamentação diminui chances de leucemia infantil? 

Além de proteger a mãe contra o câncer de mama, a diminuição do risco de desenvolvimento de leucemia infantil também está entre os benefícios da amamentação para a saúde dos bebês. Segundo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Haifa, em Israel, e divulgado no Journal of the American Medical Association (Jama) Pediatrics, o leite materno pode reduzir em até 19% o risco de desenvolvimento da doença. 

Conheça nosso blog!

Aqui em nosso Blog sempre encontrará materiais relevantes para mais saúde e qualidade de vida. Confira outros conteúdos que podem ser de seu interesse:

Quais são os riscos do paciente oncológico contrair a Covid-19?

Qual a importância do hábito de lavar as mãos para a prevenção de doenças?

Fonte: Dr. Cleverson Gomes do Carmo Junior, mastologista da Medquimheo, CRM: ES 8267.


saude-mental.png

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 9,3% da população sofre de ansiedade, o que representa 18,6 milhões de brasileiros. Outro dado alarmante, apresentado por meio de um estudo da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), mostra que os índices de depressão em mulheres com diagnóstico de câncer de mama aumentaram de 7% para 25%, o que evidencia a necessidade do cuidado com a saúde mental também durante o tratamento oncológico. Para alertar e conscientizar sobre a importância de cuidar da mente, nós, do blog da Medquimheo, preparamos um conteúdo especial. Continue lendo para conferir!

 Saúde mental e o tratamento oncológico

Diante de um diagnóstico de câncer, a saúde mental pode ficar em risco e, se prejudicada, pode interferir diretamente na qualidade de vida do paciente. Por isso, é preciso encontrar alternativas para que a saúde psíquica regulada durante o tratamento oncológico. Contar com a família e amigos é fundamental para fortalecer a autoestima do paciente, que passa a entender que sempre terá apoio na luta contra a doença.

 “Ter apoio social de qualidade traz benefícios para o enfrentamento da doença. Corpo e mente estão sempre interligados e uma saúde mental bem cuidada reflete em resultados melhores dos tratamentos.”

–   Gabriela Simmer, psicóloga da Medquimheo 

Como manter a saúde mental durante a pandemia?

O cenário de pandemia que temos vivido nos últimos meses trouxe muita ansiedade, angústia, medos e incertezas. O resultado disso, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), é que além de lidar com o novo coronavírus, o mundo também enfrenta uma crise de saúde mental. Essa realidade pode ser ainda mais desafiadora para os pacientes oncológicos, porém a adoção de alguns hábitos pode ajudar a driblar a ansiedade e manter a mente saudável. Confira nossas dicas de como você pode cuidar da saúde mental na prática!

 –       Separe o trabalho do lazer

Durante a pandemia muitos trabalhos foram adaptados ao modelo home office e a casa se tornou um lugar de múltiplas tarefas. Nesse momento é preciso separar o espaço e tempo de trabalho e lazer, para que seja possível ser produtivo e também se desligar na hora do descanso. 

–       Pratique esportes

Com a supervisão de um médico, procure práticas de exercícios para se manter ativo fisicamente. Quando os esportes são incluídos à rotina podem auxiliar na queima de calorias e liberação de hormônios como a endorfina – responsável pelo prazer natural ao corpo.

 –       Exercite a mente

Assim como mover o corpo, exercitar a mente também é essencial. Ler, fazer palavras-chaves, jogos de memória, estudar novos assuntos e praticar habilidades, como tocar instrumentos, podem ser hábitos adotados no dia a dia para ajudar a ter uma mente mais ativa e saudável.

–       Desligue-se das redes 

O uso excessivo dos aparelhos eletrônicos traz consequências graves para a saúde mental. Aceitação externa e comparação com o irreal são algumas problemáticas provenientes da exposição constante às redes sociais. Por isso, administre seu tempo online! 

#DicaDaMedquimheo: a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com o Ministério da Saúde, criou uma cartilha com recomendações gerais de como manter a saúde mental durante a pandemia da COVID-19. Confira!

Conheça nosso blog!

O nosso blog é cheio de posts para te manter sempre bem informado. Aproveite mais conteúdos:

Dicas de atividades para realizar na quarentena

Ansiedade: saiba como lidar durante o isolamento

Fonte: Ministério da Saúde.


relacao-silicone-cancer-de-mama.jpg

outubro 29, 2020 Câncer de mama0

De acordo com o último levantamento feito pela International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), o Brasil é o segundo país no ranking de países que mais realizam cirurgias plásticas mamárias, com mais de 1 milhão de procedimentos ao ano. Nesse cenário, as mulheres são responsáveis por 86,4% das plásticas feitas no mundo, incluindo as próteses de silicone. Por isso, no post de hoje, nós, do blog da Medquimheo, preparamos um conteúdo especial para te explicar e alertar sobre a relação entre próteses de silicone e câncer de mama. Confira!

Qual é a relação entre uso de silicone e câncer de mama?

As próteses mamárias não são um fator de risco para o aparecimento do câncer de mama, mas podem esconder a presença de tumores e nódulos malignos nas mamas, já que os exames de imagem podem precisar de maior atenção na sua realização e análise, interferindo no diagnóstico precoce deste tipo de câncer, que é fundamental para aumentar as chances de cura da doença.

As mulheres que fizeram a implantação da prótese mamária precisam manter a atenção quanto aos sinais do câncer de mama. É importante lembrar que, mulheres que optaram pela prótese na reconstrução da mama após retirada de um tumor devem fazer acompanhamento periódico, seguindo rigorosamente as orientações de seu médico, para se certificar de que não há novos nódulos malignos. 

Qual é a importância dos exames preventivos?

O mastologista da Medquimheo, Dr. Cleverson Gomes do Carmo Junior, explica que é importante que a mulher adote a rotina de acompanhamento com especialista, para que, assim, seja possível o diagnóstico precoce do câncer de mama

“A porcentagem de cura é alta quando o câncer de mama é descoberto em seu estágio inicial, por isso, é preciso que as mulheres, após os 40 anos, criem o hábito de realizar a mamografia anualmente e, para aquelas em que houver casos de câncer na família, os exames preventivos devem ser iniciados mais cedo”. 

-Dr. Cleverson Gomes do Carmo Junior, mastologista da Medquimheo

#DicaDaMedquimheo: pensando na importância de falar sobre esse assunto, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) desenvolveu uma cartilha que detalha diversas informações sobre o câncer de mama. Vale a pena conferir!

Conheça o blog da Medquimheo!

O nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado. Aproveite mais conteúdos:

Câncer e depressão: entenda a relação! 

Menopausa e câncer: entenda a relação 

Fonte: Dr. Cleverson Gomes do Carmo Junior, mastologista da Medquimheo, CRM: ES 8267.


cancer-de-mama-em-homens.jpg

outubro 29, 2020 Câncer de mama0

Os homens precisam se atentar ao fato de o câncer de mama não ser restrito às mulheres! Apenas 1% é o total de homens acometidos pela doença no Brasil em relação às mulheres. A incidência masculina é tão rara e pouco frequente que, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), não entra nas estimativas. Porém, apesar de rara, a doença pode ser fatal se não for diagnosticada precocemente. Para que você possa entender mais sobre o assunto, nós, do blog da Medquimheo, preparamos um conteúdo especial. Continue lendo para conferir!

Quais são os sinais do câncer de mama em homens?

De acordo com o Instituto Oncoguia, alterações como protuberância ou inchaço, geralmente (mas nem sempre) indolor, pele ondulada ou enrugada, retração do mamilo e vermelhidão ou descamação da pele da mama ou do mamilo e inchaço nos linfonodos axilares são alguns dos principais sinais do câncer de mama em homens.

Diferenças entre o câncer de mama em homens e mulheres

Existem muitas semelhanças entre o câncer de mama em homens e mulheres, mas também algumas diferenças importantes que impedem o diagnóstico precoce da doença. A principal delas é em relação ao tamanho  da mama masculina e da feminina. Os tumores na mama dos homens tendem a ser um pouco menores do que nas mulheres e, na maioria das vezes, quando diagnosticados, já se disseminaram para tecidos adjacentes. 

Além disso, outra importante e alarmante diferença é que alguns homens têm vergonha quando encontram um nódulo na mama e temem que alguém possa, inclusive, questionar a masculinidade. Isto também pode retardar o diagnóstico e reduzir as chances de sucesso no tratamento do câncer de mama.

Quais são as formas de prevenção do câncer de mama masculino?

Os homens podem adotar algumas ações para reduzir o risco de desenvolvimento do câncer de mama, como manter um peso corporal saudável e a evitar consumo excessivo de álcool. 

“As melhores estratégias para reduzir o número de mortes causadas pelo câncer de mama são a detecção precoce e o tratamento imediato. O diagnóstico precoce é um problema para os homens, que tendem a ignorar os nódulos mamários e a consultarem um médico, mesmo quando esses nódulos já aumentaram de tamanho. Em geral, os homens são diagnosticados com câncer de mama em estágios mais avançados do que as mulheres. É por isso que reitero a importância de conscientizar e se atentar aos sinais da doença e a cuidar da saúde”.

-Dr. Cleverson Gomes do Carmo Junior, mastologista da Medquimheo

Conheça o blog da Medquimheo!

O nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado. Aproveite mais conteúdos:

Pacientes onco-hematológicos e o tratamento durante o isolamento

Falta de vitaminas durante o câncer: entenda qual é a relação

Menopausa e câncer: entenda a relação 

Fonte: Dr. Cleverson Gomes do Carmo Junior, mastologista da Medquimheo, CRM ES 8267.


autoestima-e-cancer.png

De acordo com um estudo feito pela SciElo Brazil, mulheres com autoestima elevada têm maiores chances de se curar de um câncer de mama e lidar de forma mais positiva com o tratamento. Incertezas, medos e inseguranças são alguns sentimentos que vêm acompanhados do diagnóstico, por isso é importante que a paciente oncológica faça o tratamento e também utilize de métodos que conservem a autoestima. 

Autoestima versus tratamento

Queda de cabelo, ganho de peso e cicatrizes são algumas marcas que o câncer pode deixar e que afetam a autoestima. Procurar alternativas para se sentir bem consigo pode ajudar a lidar com o tratamento de forma mais positiva e otimista. Veja algumas dicas que separamos para você elevar sua autoestima!

1 – Aceitação

Receber um diagnóstico pode afetar as emoções. Vivencie suas emoções e lembre-se que a equipe de assistência será uma grande aliada ao seu tratamento.

“Ter uma rede de apoio suportiva, beneficiará a saúde mental e, consequentemente, trará resultados positivos do tratamento. Além disso, faz com que a paciente se sinta acolhida e viva este momento com mais leveza.”

-Dra. Gabriela Simmer, psicóloga da Medquimheo

2 – Descubra combinações de lenços e máscaras

Por conta da pandemia do novo coronavírus foi preciso adotar alguns hábitos para maior segurança e dentre eles está o uso da máscara. Quem disse que para se proteger não pode estar estilosa? Com o uso deste novo acessório, é possível combinar cores e estampas, além de usar as sobreposições adjunto com os lenços. Agora é só investir nas combinações e se sentir linda!

Muitas mulheres que passam pelo tratamento oncológico precisam raspar o cabelo, por conta dos procedimentos de quimioterapia. Entretanto, esse momento não precisa ser visto  apenas por um lado negativo, é possível, por exemplo, deixar os looks mais alegres por meio dos lenços e as diferentes amarrações. É importante que na hora da escolha, opte por tecidos que tragam conforto e leveza – os de algodão são os que absorvem melhor o calor e são ótimas opções para os dias quentes. 

3 – A vida não parou

Mesmo em tratamento, o paciente deve manter seu círculo de amigos e familiares próximo, visto que o apoio desses é de extrema importância para que a pessoa se sinta acolhida e segura para passar por esse momento.

#DicaDaMedquimheo: o podcast Detetives da Saúde produziu um episódio em especial sobre o Outubro Rosa e trouxe dicas de como as mulheres podem manter a autoestima elevada durante o tratamento de câncer de mama. Confira!

Aproveite que descobriu nosso blog e fique por aqui!

O nosso blog é cheio de posts para te manter sempre bem informado. Aproveite mais conteúdos:

Descubra como ficar linda no verão com os lenços

Máscaras de proteção: entenda qual é o tipo ideal para cada ocasião 

Fonte: Instituto Quimioterapia e Beleza


cancer-de-mama.png

O Outubro Rosa é uma campanha celebrada anualmente no décimo mês do ano, que tem por objetivo compartilhar informações sobre o câncer de mama, para que as mulheres – gênero mais acometido pela doença – tenham acesso rápido ao diagnóstico e tratamento. De acordo com o Instituto Oncoguia, as chances de cura do câncer de mama aumentam em 95% quando o câncer é identificado em estágio inicial. 

Sobre o câncer de mama

O câncer de mama pode surgir também em homens, porém não é muito comum. A doença se dá pelo crescimento descontrolado de células da mama que adquirem características anormais, anormalidades estas causadas por mutações genéticas. 

É válido ressaltar que vários tipos de câncer de mama se apresentam em nódulos – mesmo alguns benignos, podem aumentar as chances de surgimento da doença. Por isso, a importância de fazer um diagnóstico por meio da biópsia – procedimento que consiste na retirada de um fragmento da suspeita lesão cancerígena para ser analisada por um patologista. 

Como prevenir o câncer de mama?

A adoção de hábitos saudáveis pode ajudar a prevenir e retardar o surgimento do câncer de mama. Adjunto a uma rotina mais ativa, é preciso se atentar aos fatores de risco e buscar métodos para que esses não sejam colaboradores no desenvolvimento da doença. Idade elevada, histórico familiar, consumo exagerado de álcool e excesso de peso são alguns dos fatores que devem ter atenção especial. 

A importância do diagnóstico precoce

O câncer de mama, quando detectado no estágio inicial, possibilita um tratamento menos agressivo e com resultados eficazes, consequentemente, tem baixa interferência à qualidade de vida e autoestima da mulher, o que faz com que a reação ao tratamento também seja mais positivo.

#DicaDaMedquimheo: pensando na importância de falar sobre esse assunto, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) desenvolveu uma cartilha que detalha diversas informações sobre o câncer de mama. Vale a pena conferir!

Levante a bandeira do Outubro Rosa

O Outubro Rosa é de suma importância para que todos tenham acesso à informação sobre o câncer de mama e, assim, auxilia para que a prevenção e o tratamento da doença sejam alcançados por todas as mulheres. 

Existem alguns métodos que ajudam a prevenir o surgimento do câncer de mama, dentre eles está a mamografia, que é recomendada a partir dos 40 anos de idade. É feita por meio da compreensão das mamas e tem como objetivo detectar a doença em seu estágio inicial. Adjunto aos exames preventivos, é necessário se autoexaminar no momento em que se sentir confortável. 

Conheça nosso blog!

O nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado. Aproveite mais conteúdos:

Câncer de depressão: entenda a relação! 

Menopausa e câncer: entenda a relação 

Fonte: Instituto Oncoguia.