BLOG

Acompanhe dicas de saúde, nutrição e bem-estar em nosso Blog.

câncer infantil

cancer-infantil.jpg

Tratar o câncer é uma batalha que se estende dia após dia, mas, com apoio profissional e da família, o período pode ser mais leve e acolhedor. Para lidar com as crianças diagnosticadas com câncer infantil, é preciso redobrar a atenção e adotar cuidados especiais. Os pequenos precisam de suporte integral, que deve ser prestado tanto por toda equipe médica, como também e, principalmente, pelos responsáveis e familiares próximos. 

Para te ajudar a entender melhor quais cuidados adotar com crianças com câncer, nós, do Blog da Medquimheo, em parceria com nossa oncologista pediátrica, Dra. Joana Bortolini, preparamos este conteúdo especial. Continue a leitura para conferir. 

Veja também: Qual a importância do hábito de lavar as mãos para a prevenção de doenças?

Como cuidar da criança com câncer?

Para cuidar da criança com câncer é importante compreender, da maneira mais clara possível, a doença e como ocorre o tratamento. Segundo o Instituto Oncoguia, o câncer infantil, na maioria das vezes, é resultado de alterações no DNA das células, que acontecem precocemente durante a vida. Ao contrário dos tipos de câncer que acometem adultos, o infantil não está relacionado a estilo de vida e a fatores de risco ambientais. 

“Os sinais do câncer infantil não são específicos e, por isso, as consultas de rotina são fundamentais, uma vez que podem contribuir para o diagnóstico precoce da doença. Os responsáveis devem estar atentos a sintomas como palidez, dores nos membros, dor óssea, hematomas ou sangramentos pelo corpo, caroços ou inchaços, perda de peso sem causa aparente, febre e sudorese noturna, tosse persistente ou falta de ar, alterações oculares, inchaço abdominal, dores de cabeça, vômitos recorrentes pela manhã ou com piora durante o dia. Caso sejam observados, a orientação é buscar um especialista imediatamente.”

-Dra. Joana Bortolini, oncologista pediátrica da Medquimheo. 

Ainda de acordo com o Oncoguia, o tratamento do câncer infantil é determinado com base no tipo e estadiamento da doença. As opções podem incluir cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Além disso, em alguns casos, o transplante de células-tronco também pode ser uma alternativa. 

Quais são as orientações para cuidado de crianças com câncer?

O Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG desenvolveu uma cartilha explicativa com as principais orientações para o cuidado de crianças com câncer. A seguir, listamos os principais cuidados que devem ser adotados: 

 

  • 💉 Vacinas

A maior parte das vacinas é contraindicada durante o tratamento de quimioterapia, mesmo as que são ministradas pela boca ou as de campanhas nacionais. Sendo assim, a recomendação sempre é buscar orientação do médico responsável pelo caso. 

  • 💊 Medicamentos

A principal orientação quanto a administração de medicamentos é esclarecer todas as dúvidas durante as consultas com o médico. Além disso, é fundamental dar os remédios para a criança nas doses e horários corretos. 

  • 🧼 Higiene corporal

Como a imunidade da criança com câncer fica comprometida, seja pela doença ou por efeitos colaterais dos tratamentos, alguns cuidados com a higiene são necessários: 

– Usar sabonete sem perfume; 

– Fazer uso de creme hidratante sem perfume após o banho;

– Manter as unhas curtas e limpas;

– Sempre utilizar protetor solar quando a criança for exposta ao sol;

– Manter brinquedos e objetos pessoais da criança higienizados. 

Conheça o Blog da Medquimheo

Nosso blog é repleto de posts para te manter sempre bem informado e atualizado. Aproveite mais conteúdos:

Saúde mental: quais hábitos adotar para ter uma mente saudável?

Câncer e depressão: entenda a relação!

Fonte: Cartilha da UFMG.


dia-internacional-da-luta-contra-o-cancer-infantil.jpg

Celebrado no dia 15 de fevereiro, o Dia Internacional da Luta Contra o Câncer Infantil, tem o intuito de promover a conscientização para o diagnóstico precoce da doença, o que aumenta em 70% as chances de cura. Para comemorar a data, nós, da Medquimheo, preparamos um post super especial com informações importantes e uma surpresa incrível ao final! Confira!

Quais são os sintomas do câncer infantil?

Em estágios iniciais, os sintomas do câncer infantil podem ser semelhantes a doenças comuns da infância. É exatamente por isso que os pais precisam estar atentos a qualquer queixa de seus filhos.

“Crianças não inventam sintomas e é por isso que os pais precisam estar atentos. Caso notem alguma anormalidade, precisam levar seus filhos para uma avaliação com pediatras. Vale ressaltar que o câncer infantil possui altas chances de cura quando diagnosticado precocemente.”

-Dra. Maria Magdalena

Como é o tratamento do câncer infantil?

Segundo o Instituto Oncoguia, o tratamento do câncer infanto-juvenil é indicado com base no tipo de estadiamento da doença. As opções podem incluir quimioterapia, cirurgia e radioterapia. Em muitos casos, é comum a combinação destas opções.

Como conversar com os filhos sobre câncer?

Dialogar com uma criança ou adolescente sobre um assunto tão delicado quanto o câncer não é uma tarefa fácil, e nós sabemos! Pensando nisso, preparamos algumas dicas que podem ajudar:

  1. Explique com palavras simples e que façam parte do vocabulário deles;
  2. Responda com honestidade todas as dúvidas que forem surgindo;
  3. Caso não saiba responder, diga: “Não sei, mas podemos tentar descobrir a resposta juntos”.

O mais importante é passar segurança e conforto!

Conheça a Vitória!

Para marcar a data, nossa equipe preparou um material exclusivo para as crianças soltarem a criatividade! A Vitória é um personagem que luta contra o câncer infantil e está disposta a alegrar e trazer um colorido especial ao dia de hoje 🙂

Baixe as imagens abaixo, imprima e garanta muita diversão para seu pequeno enquanto ele brinca de colorir e montar looks!

Fonte: Dra. Maria Magdalena Frechiani, oncologista pediatra, CRM ES 1677.



teste-olhinho-pode-detectar-cancerO tradicional teste do olhinho pode detectar várias doenças. Um dos males que pode descobrir, ainda em na fase inicial, é o retinoblastoma, um tipo de câncer que afeta a retina. Em filhos de pessoas que tiveram o transtorno a incidência do problema costuma ser maior.

Um dos principais sinais é a leucocoria. A manifestação é dada por meio de uma mancha branca. O aumento do globo ocular e a até a perda da visão também podem ser consequências. De acordo com a oncologista pediátrica da Medquimheo, Magdalena Frechiani, os pais devem procurar a realização do exame do olhinho logo após o nascimento da criança. “O teste é um aliado no diagnóstico precoce”, explica.

Sobre o câncer infantil

Conjunto de várias doenças que tem em comum a proliferação de células anormais, o câncer infantil, até alguns anos era considerado um problema raro. De acordo com dados do Inca, essa realidade mudou. A estimativa de novos casos, somente em 2012, foi de 11.530, entre crianças e adolescentes.

Em sua fase inicial, não há sintomas evidentes, o que dificulta o diagnóstico precoce, que pode aumentar as chances de cura. Grande parte das pessoas desconhece os principais sinais. Há casos em que os pais acabam confundindo as manifestações do transtorno com doenças comuns da infância.

Tratamento

O progresso do tratamento do câncer infantil, na maioria dos casos, é excelente. Pesquisas demonstram que 90% dos casos têm chances de cura, quando os tumores são descobertos nas fases iniciais. A observação dos pais é fundamental para este sucesso.

Para um tratamento adequado, o diagnóstico correto é indispensável. Deve ser feito em centros especializados. Podem compreender até três modalidades, dependendo da necessidade – a quimioterapia, cirurgia e radioterapia são as principais.




No dia 23 de novembro, comemora-se em todo o país o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil, instituído em abril de 2008. A Confederação Nacional de Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC) busca mobilizar a sociedade a promover o “Novembro Dourado”. O objetivo é criar ações de alerta para a importância do combate ao câncer em pessoas de 5 a 19 anos.

De acordo com o oncologista pediátrico da Medquimheo, Dr.Carlos Magno Bortolini, o câncer é a doença que mais mata crianças e adolescentes. “No Espírito Santo, profissionais ligados aos programas de tratamento do Câncer Infantojuvenil e à Associação Capixaba Contra o Câncer Infantil (Acacci), divulgam medidas que podem ajudar às famílias a ficarem atentas aos sinais e sintomas relativos da doença”, detalha.

Informações do Instituto Nacional do Câncer (Inca), no Brasil, demonstram que a estimativa de novos casos de câncer infantojuvenil é de 4 mil a 19 mil, por ano. “Desse total, poucos são diagnosticados. Muitos são encaminhados aos centros de tratamento com a doença já em estágio avançado.  Um dos objetivos do movimento é estimular ações educativas e preventivas, tornando os sinais do transtorno conhecidos ao maior número de pessoas”, explica Bortolini.
 

Alertas

Levar as crianças e adolescentes regularmente ao pediatra, e observar qualquer mudança no comportamento ou corpo dos filhos, são medidas que têm uma importância muito elevada, quando o assunto é câncer. “A arma principal contra o tumor é o diagnóstico precoce. Os pais, médicos, agentes de saúde e até os professores podem ser aliados para reforçar medidas preventivas. O medo da doença e a falsa ideia de que o câncer não tem cura, terminam por retardar o tratamento”, reforça o oncologista.

As leucemias, câncer do sangue, são as formas mais comuns de câncer na população infantojuvenil, seguidas pelos tumores cerebrais e os linfomas, sendo que este último acomete os gânglios ou nódulos linfáticos, popularmente conhecidos como ínguas. “Os tumores renais e ósseos, neuroblastomas, tumores do fígado, retinoblastoma (acomete o globo ocular) e os de células germinativas (de ovários e testículos), vêm a seguir”, destaca.

 

Sintomas

Ainda de acordo com o oncologista, cada tumor apresenta sinais isolados. Leucemias Agudas, por exemplo, costumam gerar febre e dores. Sangramentos espontâneos de mucosas, palidez, manchas roxas ou equimoses pelo corpo, crescimento do fígado e do baço e de gânglios ou ínguas também são sintomas.  

Os tumores cerebrais podem provocar vômitos frequentes e inexplicados, acompanhados de cefaléia, alteração da visão, estrabismo súbito, perda do equilíbrio, convulsão, alteração do comportamento, fala arrastada e dificuldade para andar.

Os linfomas causam febre, palidez, sudorese noturna e emagrecimento. Ínguas de crescimento rápido e contínuo, sem relação com infecção, geralmente, indolores também são sinais de alerta. Elas podem causar dificuldade para respirar.

Tumores ósseos criam um aumento de volume em projeção de um osso (geralmente de membros como o quadril), com ou sem dor, sem relação com trauma local. Às vezes febre.

Retinoblastoma, ou “Tumor do olho”, gera um aumento do volume do olho, manchas esbranquiçadas na pupila, alteração da visão e dor.

 

Tratamento

O tratamento varia para cada tipo de tumor. Às vezes apenas a cirurgia pode ser resolutiva.  Em alguns casos, são necessárias a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia. Considerando todos os tipos de câncer na infância e adolescência, os índices globais e atuais de cura, chegam aos animadores índices de 70%.